ESTATÍSTICAS INTERNACIONAIS

Em 2007, nos tribunais federais dos EUA, 5477 indivíduos foram considerados culpados por crimes relacionados com o crack. Mais de 95% destes delinquentes tinham se envolvido com o tráfico de crack.

A situação na Europa é diferente. O European Monitoring Centre on Drugs and Drug Addiction (Centro Europeu de Monotorização das Drogas e da Toxicodependência) relata que o consumo do crack é comummente restrito às comunidades minoritárias de cidades grandes com altos níveis de desemprego e condições de vida pobres. Em 2006, 20 países europeus relataram que os consumidores de crack representavam apenas 2% de todos os consumidores de drogas que entram em tratamento por consumo de substâncias, e a maior parte deles são do Reino Unido.

Crack e Crime

11,6% daqueles detidos consumiram crack na semana anterior.
Honolulu, Hawaii
49,8% daqueles presos consumiram crack no passado.
Atlanta, Georgia

A Pesquisa Nacional da Toxicodependência e Saúde de 2007 nos EUA mostra que 8,6 milhões de americanos com 12 anos ou mais usaram crack. Entre os pesquisados na idade de 18 a 25 anos, 6,9% disseram ter usado crack durante o ano anterior. A pesquisa da Government’s Monitoring the Future (Controlo Governamental do Futuro) nos EUA, em 2007, verificou que 3,2% dos estudantes secundários usaram o crack em algum momento da sua vida.

 

Nos Estados Unidos, o crack foi a principal droga de consumo em 178.475 entradas para tratamento em 2006. Isto representou 71% de todas entradas para o tratamento da cocaína.

 

“É uma droga totalmente egoísta, este crack. Toma controlo da tua vida. O crack deixa–te agarrado rapidamente. Não leva tempo nenhum. As ânsias que produz são massivas. E acaba por o consumir com muito mais frequência devido à euforia ser de curta duração.” – Peter