AS ETAPAS DA “EXPERIÊNCIA” DA METANFETAMINA

1) A Excitação – Uma excitação é a resposta inicial que o consumidor sente enquanto fuma ou injecta metanfetaminas. Durante a excitação, o batimento cardíaco do consumidor aumenta e o metabolismo 1, tensão e pulso sobem a pique. Ao contrário da excitação associada com o crack, que dura aproximadamente dois a cinco minutos, a excitação da metanfetamina pode continuar por mais de trinta minutos.

2)A Elevação – A excitação é seguida por uma elevação, algumas vezes chamada “noia”. Durante a elevação, o consumidor frequentemente sente–se agressivamente inteligente e pode tornar–se argumentativo, interrompendo frequentemente as outras pessoas e acabando as frases delas. Os efeitos ilusórios podem resultar num consumidor tornando–se intensamente focado num item inconsequente, tal como limpar repetidamente a mesma janela durante várias horas. A elevação pode durar quatro a dezasseis horas.

3) A Avidez – A avidez é o consumo descontrolado de uma droga ou álcool. Refere–se à urgência do consumidor para manter a noia ao fumar ou injectar mais anfetaminas. A avidez pode durar três a quinze dias. Durante a avidez, o consumidor torna–se hiperativo tanto mental como fisicamente. De cada vez que o consumidor fuma ou injecta mais droga, experimenta outra elevação, mas menor até que, finalmente, não há excitação nem noia.

4) Tweaking – Um consumidor é mais perigoso quando experimenta uma fase de dependência chamada “tweaking” – uma condição alcançada no fim da avidez quando a anfetamina já não mais providencia uma excitação ou noia. Incapaz de aliviar os sentimentos temerosos de vazio e ânsia, um consumidor perde o seu sentido de identidade. É comum uma comichão intensa e um consumidor pode ficar convencido que há insectos que rastejam por debaixo da sua pele. Incapaz de dormir durante dias seguidos, o consumidor está frequentemente num estado psicótico completo e existe no seu próprio mundo, vendo e ouvindo coisas que mais ninguém pode percepcionar. As suas alucinações são tão vividas que parecem reais e sendo desligadas da realidade, ele pode tornar–se hostil e perigoso para ele mesmo e outros. O potencial para a automutilação é elevado.

5) A Queda – Para um consumidor ávido, a queda ocorre quando o corpo colapsa, incapaz de lidar com os efeitos esmagadores das drogas e resulta num longo período de sonolência para a pessoa. Até o consumidor pior e mais violento se torna quase inanimado durante a queda. A queda pode durar um a três dias.

6) Ressaca de Meth – Após a queda, o consumidor regressa num estado deteriorado, esfomeado, desidratado, e totalmente exausto física, mental e emocionalmente. Este estado normalmente dura entre dois a catorze dias. Isto leva a reforçar a dependência, visto que a “solução” para esses sentimentos é tomar mais metanfetaminas.

7) Abstinência – Frequentemente podem passar trinta a noventa dias após a última utilização antes do consumidor perceber que está em abstinência. Primeiro, fica deprimido, perde a sua energia e capacidade para experimentar prazer. Depois a ânsia por mais anfetaminas surge, e o consumidor frequentemente torna–se suicida. Uma vez que a abstinência da metanfetamina é extremamente dolorosa e árdua, a maioria dos consumidores frequentemente retorna; dessa forma, 93% das pessoas em tratamentos tradicionais regressam à dependência de metanfetaminas.

  1. 1. metabolismo: os processos no corpo que convertem os alimentos em energia.