ÁLCOOL

O álcool deprime o sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal), reduz as inibições 1e embota o raciocínio. Beber excessivamente pode provocar coma e até mesmo matar. Misturar álcool com medicamentos ou drogas de rua é extremamente perigoso e pode ser fatal. O álcool influência o seu cérebro e produz uma perda de coordenação, reflexos mais lentos, visão distorcida, lapsos de memória e desmaios. Os corpos dos adolescentes ainda estão em crescimento pelo que o álcool tem um impacto muito maior no bem–estar físico e mental do jovem do que nas pessoas mais velhas.

Efeitos a curto prazo:

Crédito fotográfico: istockphoto.com/Lisa Young
Sensação de calor, vermelhidão da pele, capacidade de raciocínio deficiente, falta de coordenação, má articulação das palavras ao falar, perda de memória e de capacidade de compreensão. O excesso de bebida normalmente resulta numa “ressaca”, dores de cabeça, náuseas, ansiedade, fraqueza, tremores e por vezes vómitos.

Efeitos a longo prazo:

Tolerância a muitos dos efeitos desagradáveis do álcool que resulta numa capacidade para beber mais. Isto conduz a uma deterioração da condição física que pode incluir problemas de fígado e aumento do risco de doenças cardíacas. Uma mulher grávida pode dar à luz um bebé com deficiências que afectam o coração, cérebro e outros órgãos importantes do bebé. Uma pessoa pode tornar–se dependente do álcool. Se alguém parar de beber de repente, os sintomas de abstinência podem aparecer. E vão desde nervosismo, insónia, suores e falta de apetite até convulsões e, por vezes, morte. O abuso do álcool também pode levar à violência e a conflitos nas relações pessoais.

  1. 1. inibições: ideias ou regras que tendem a impedir uma pessoa de fazer algo.