UMA INCLINAÇÃO MUITO ESCORREGADIA

Algumas crianças fumam cigarros e bebem álcool enquanto ainda muito novas. Na altura em que acabem o liceu, aproximadamente 40% de todos os jovens terão experimentado marijuana. Alguns passam mais tarde a substâncias mais viciantes.

Nós não podemos assumir que todas as crianças que fumam marijuana hoje tornar–se–ão viciadas de heroína amanhã. Mas o perigo existe. E estudos a longo prazo de estudantes de liceu mostram que muito poucos jovens usam outras drogas sem primeiro terem experimentado marijuana. A partir da altura que a pessoa não sente mais a “intensidade”, procura e começa a aumentar o consumo de droga ou procurar algo mais forte.

Vamos enfrentar a realidade

As crianças a ter contacto com drogas ilegais estão a aumentar.

O Inquérito Nacional sobre o Consumo de Drogas e Saúde de 2007 descobriu que mais de 9,5% dos jovens com idades entre os 12 e 17 nos EUA eram atualmente consumidores de drogas ilícitas. Em 2008, o Centro Nacional de Toxicodependência da Universidade de Columbia relatou que o consumo de marijuana por dia, entre estudantes universitários dobrou, e o consumo de cocaína e heroína estava em alta também.

De acordo com o Gabinete para as Drogas e Crime das Nações Unidas estima–se que em 2008, 16 milhões de pessoas mundialmente consumiam opiáceos: ópio, morfina, heroína e opiáceos sintéticos.

A NOVA CARA DA HEROÍNA

A imagem de um jovem heroinómano apático caído num imundo beco escuro é obsoleta. Hoje, o jovem toxicodependente pode ter 12 anos, brincar com jogos de vídeo e desfrutar a música da sua geração. Pode ter uma aparência de inteligente, com estilo e não exibir nenhum dos traços comuns de consumo de heroína, tais como marcas de agulha no seu braço.

Por estar disponível em várias formas que são mais fáceis de consumir e mais acessíveis, a heroína hoje em dia é mais tentadora do que nunca. Entre 1995 e 2002, o número de adolescentes na América com idade entre os 12 e 17 anos que usou heroína nalguma altura das suas vidas aumentou 300%.

Um jovem que possa pensar duas vezes em pôr uma agulha no braço pode mais facilmente fumar ou “snifar” a mesma droga. Mas isto é dar falsa garantia e pode dar à pessoa a ideia de que há menos perigo. A verdade é que a heroína em todas as suas formas é perigosa e viciante.